Welcome to Centro de Integridade Pública de STP   Click to listen highlighted text! Welcome to Centro de Integridade Pública de STP

STJ Reclama Parte da Venda dos Produtos dos Barcos Perdidos a Favor do Estado

STJ Reclama Parte da Venda dos Produtos dos Barcos Perdidos a Favor do Estado

barcos
Merida e Melissa

Enxerto do DISCURSO NA CERIMONIA DE ABERTURA DO ANO JUDICIAL 2014 Presidente do STJ

“Exas., (…) por isso não é de se entender por que razão não se depositou até ao presente momento, os 10% do valor obtido da venda dos produtos encontrados nos famosos barcos apreendidos com todos os recheios nas nossas águas territoriais e que foram declarados perdidos a favor do Estado da RDSTP por Tribunais Judiciais S.tomenses nos Cofres dos Tribunais, tal como preceituado no art.155º do referido Código que passo a citar; “Pela venda de objetos apreendidos em processos criminais deduzir-se-á para o Cofre do Tribunal 10 por cento das quantias arrecadadas” fim de citação.

Isto é de tamanha gravidade e irresponsabilidade, que para não se colocar à disposição dos Tribunais o que é deles por direito, inventou-se competências e poderes discricionários inexistente, ignorou-se a existência do Juízo de Execução de Pena, o que revela uma autêntica e grosseira falta de respeito do ainda, grosseiro desrespeito as Leis da República que se jurou cumprir, respeitar e defender.

O governo na pessoa do PM vem dizendo que a venda dos referidos objetos (produtos) foi efetuada com base na disposição do artigo 104º do Código Penal vigente, o que não passa de um erro de interpretação, já que o nº3 deste artigo reza que “ Os objetos declarados perdidos à favor do Estado a que lei não fixe destino final, em leilão anual a organizar pelo Juiz Presidente do Tribunal devendo o produto da venda reverter para fundo próprios dos serviços prisionais”, significando que a norma em referência não confere ao Governo qualquer competência ou poder administrativo para efetuar a venda dos objetos declarados perdidos a favor do Estado. Portanto, o Governo só podia proceder a venda dos referidos objetos mediante a Autorização Judicial previamente concedida para o efeito tal como fez, e não de uma outra forma (…)

Discurso Completo em PDF 

Artigos relacionados
Telanon
rfi

Partilha
Share

Comments

comentários

Powered by Facebook Comments

Click to listen highlighted text!